Comprimidos

Leia a bula.

Ao persistirem os sintomas, procure um médico que saiba responder algo além de "deve ser amor".
Que coisa doentia.

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Pausa para uma crise adolescente.

Vou lhes contar a verdade sobre o amor. Ele não é legal. Pra te falar a verdade, ele é um grandissíssimo filho da puta. E eu adoraria matar quem o inventou.

Mentira.

As vezes acho que ninguem criou, ele simplesmente nasceu. Um aborto. Uma necessidade. Uma falta do que fazer. Ainda preciso decidir se ele é bom ou ruim. Talvez isso não dependa dele propriamente dito, mas de quem o gera em mim. Eu não dou sorte mesmo… Aborto. Puto. Homens. Argh.

Bom, o amor. Ei, você suspirou? Você gosta dele né? Mas aaah, não suspire. Suspiros me irritam. Eu só suspiro quando estou com pressa. Ou puta. Eu tô sempre puta então sempre suspiro. Mas suspiros me irritam, então não os faça. Fiquei puta. Suspiro. Shiu.

Bom, o amor. Mais uma vez. Eu tenho deficit de atenção, desculpa. Mas então, o amor… Essa coisa louca, que estoura a boca to teu estômago mas que você, programada pra achar tudo lindo, diz que são apenas borboletas. Borboletas não explodem. Elas não te fodem. Elas nem ao menos causam dor. Não querem fazer isso, sabe? Elas nem pensam! Cabeças de vento. Elas tem cabeça? Bom, então só ficam por ai, batendo suas asinhas, pousando em lugares inadequados e dizendo em borboletês que não ligam pro que se passa dentro de você. E elas realmente não ligam, acredite. Polén é tão mais interessante…

Elas não voam dentro de você quando ele aparece. Elas não sabem quem é ele. Eu também não, mas você provavelmente pensou em alguem. E não suspire! Mas elas nem se importam. Não as coloque no meio disso tudo. A culpa da explosão é sua. Se você está despedaçada, não reclame aos insetos. Você o deixou te invadir, e ele então marcou o territorio. Agradeça por ele não ser um cachorro. Seria bem nojento…

E então o cheiro dele te invade. Você não consegue pensar em muitas outras coisas. E no começo não se importa com toda essa incompetência. Porque sim, você passa a ser um robôzinho inábil, quase retardado. Eu me sinto retardada quando amo alguem. Não acho que amar seja uma escolha, mas ser retardada sim. Sei lá, eu só sou mesmo. To bem assim. Retardada. E nem preciso amar pra ser, mas quem se importa? As borboletas não..

Aliás, as unicas borboletas que se importam são essas débeis, ilusões da sua cabeça. Capture-as logo antes que elas virem carnivoras e comecem a chacina. Não que dê pra evitar… Uma hora você será comida. Sem sacanagem.

E bla bla bla o tempo passa. Você expande a zona de conforto dele como se fosse um aplicativo da internet. Ele aceita todo o seu amor, é um presente. Mas mini granas não existem nessa vida. O preço é muito mais alto, querida. Mais vital. Menos nerd. Seu coração vale um pouco mais que moedas douradas. Você não mora numa enseada com trinta peixes cada. Eles não te amam. A Leite Gaga não existe. O principe encantado também não.

É um absurdo que as pessoas façam questão de provar que Papai Noel não existe, mas insistem nessa coisa de principe do cavalo branco. E se ele existir, duvido que venha num cavalo. Ainda mais branco. Daonde o meu “principe” está vindo, de tão tão tão puta que pariu distante, no minimo o cavalo tinha que voltar cheio de lama né? Mas acho que ele está vindo de tartaruga manca mesmo, vai saber.

A questão é que eu ainda não te contei a verdade sobre o amor. Eu apenas te disse o que acontece quando você o sente. Mas, de fato, é só isso que eu posso te falar. Eu não sei a verdade sobre ele. Eu te enganei. Mas eu sei o quanto você pode ganhar e perder com tudo isso. Ele te tira muita coisa. Te oferece tantas outras. Alegrias, sonhos, enganos, ilusões, carinhos, memórias. Ele não promete ser pra sempre. O amor desgasta, esmaece. Mas ele te permite construir uma vida paralela, eterna. A unica coisa que você precisa fazer é optar viver ou não nela.

E se você disser sim para tudo isso, aceite que as borboletas podem virar águias, com garras enormes, prontas pra te agarrar pelo pescoço e jogar de cima de um prédio, daonde voce vai atingir o asfalto e virar panqueca. Mas normalmente a queda é tão deliciosa, que você fechará os olhos nos 5 segundos finais e agradecerá por ter sentido algo tão incrivel. Morra feliz. Retardada e completamente feliz. Mas como você já sonhou demais, não custa torcer para que o principe chegue a tempo e esteja lá embaixo pra te segurar.

3 comentários:

T. disse...

Adorei teu texto, Mia. *-* De verdade. Tu escreves muitíssimo bem.
E é...o amor faz dessas coisas. Borboletas viram águias ferozes e com garras enormes que rasgam nossas víceras.

Beijos.

marioquesado disse...

Realmente um texto excelente. Retrata muito bem o tema e a escrita também é ótima.

menino matheus disse...

"e eu escrevo mal, logo avisamd" querendo enganar qm mia?? vc escreve muito bem vio linda?
bjs